Peru – Aguas Calientes – Machu Picchu

/, Melhores Destinos - Internacionais/Peru – Aguas Calientes – Machu Picchu

Peru – Aguas Calientes – Machu Picchu

Reconhecida como uma das maravilhas do mundo atual, Machu Picchu é um lugar impressionante sob inúmeros aspectos. É daqueles destinos que você tem de colocar no topo da lista de lugares para conhecer antes de morrer. A cidade comemorou 100 anos de seu descobrimento em 2011. A “cidade perdida dos Incas” exala energia e permite aos visitantes desvendar um pouquinho de um povo que guardava conhecimento muito avançado, especialmente para a época. O sítio arqueológico está 2.450 metros acima do nível do mar e foi povoado entre os anos de 1450 a 1540. As famílias que lá viviam cultivavam, principalmente, milho e batata e deixaram a cidade antes da chegada dos espanhóis, provavelmente motivados por moléstias. Machu Picchu foi toda construída por pedras, sendo que a maior parte delas tem entre 10kg e 15kg – algumas chegam a pesar 20 toneladas. É incrível a experiência de visitar as ruínas e perceber o encaixe perfeito das paredes. Uma curiosidade que torna o lugar ainda mais interessante e surpreendente é saber que os moradores eram pequenos: os homens tinham, em média, 1,55m e as mulheres, 1,25m. Sabendo disso, é quase impossível não se perguntar como um lugar tão grandioso foi construído. As fotos mais conhecidas de Machu Picchu são as panorâmicas, que dão uma visão superior do lugar, mas o passeio não termina por ali. Depois de andar pela cidade perdida, você vai vê-la de baixo, do ponto inferior; aí sim o visual é inacreditável. Andar por Machu Picchu é conhecer a história, o modo de vida, e se surpreender com o conhecimento de matemática, astronomia e acústica que os incas possuíam. Um passeio imperdível! Melhor ainda se for aproveitado com as dicas do Melhores Destinos!

O que fazer em Machu Picchu

O Parque Arqueológico de Machu Picchu guarda templos, muros, casas e várias outras ruínas utilizadas pelas famílias que lá viveram. É recomendável ir bem cedo, pois o sol é menos forte e a cidade está mais vazia. Aconselhamos também fazer seu passeio junto a um guia – do contrário, você não saberá todas as curiosidades e detalhes das construções e não conhecerá a fundo todo o potencial que esse povo guardava. Um passeio de quatro horas é suficiente para conhecer bem o sítio, tirar muitas fotos, relaxar depois do cansaço que algumas subidas provocam, entre outras coisas. Antes de subir, pegue um mapa na recepção do parque, pois nele há várias informações que ajudam você a se localizar. Na volta do passeio, antes de deixar o parque, vá até a recepção novamente para receber no passaporte um carimbo de Machu Picchu. Não se esqueça de levar água e um lanche, se for ficar muito tempo por lá. O restaurante e a lanchonete próximos do parque custam caro. Não deixe de observar a vista panorâmica mais conhecida da cidade, na zona agrícola, logo no início do passeio. Em seguida, passando pela porta principal e chegando à zona urbana, perceba o encaixe das pedras, além da acústica perfeita dos nichos nas paredes.  Siga fazendo uma parada na Praça dos Templos e, posteriormente, no Templo Principal, formado por pedras grandiosas. Esse último templo sofreu com abalos sísmicos, mas é um dos pontos mais importantes de Machu Picchu. Prosseguindo no passeio, passe pelo Templo do Sol e pelo setor da Rocha Sagrada, que presenta o horizonte das montanhas. Após passar pela Rocha Sagrada, lembre-se da imagem panorâmica que se tem na entrada no sítio. Nas fotos mais famosas de Machu Picchu é possível perceber uma montanha íngreme ao fundo, certo? Ela se chama Huayna Picchu e está 2720 metros acima no nível do mar. Aos visitantes também é permitida a subida até o alto dessa montanha, mas as entradas são limitadas em dois grupos diários de 200 pessoas, que sobem sempre pela manhã. Entre subida e descida são gastas aproximadamente três horas. A visão que se tem de lá é ainda mais incrível, e quem vai fica admirado. Mesmo que seja cansativo, o consenso geral é de que o esforço vale a pena, porque você pode ver a Cidade Perdida de um ângulo que poucas pessoas conhecem. Info: A entrada no Parque de Machu Picchu custa 126 soles (R$ 84). Para conhecer Machu Picchu + Huayna Picchu, o valor é de 150 soles (R$ 100). A diferença de preço é pouca e vale a pena fazer os dois passeios. O sítio arqueológico é um lugar inesquecível, de beleza natural e humana abundantes. É um lugar que merece sua visita. *Os valores são relativos a setembro de 2011.

Transportes em Machu Picchu

Quem pretende conhecer a região de Machu Picchu pode esquecer os carros – só dá para chegar lá por trem e conhecer o parque por meio de caminhadas. Para quem fica em Cusco ou Ollantaytambo, um carro pode fazer diferença. Se você se hospedar em Cusco e quiser a cada dia conhecer uma região diferente do Vale Sagrado, vale alugar um carro. Desde Cusco, a maior cidade e com mais estrutura na região, há diversos passeios para os sítios arqueológicos do Vale Sagrado. Você pode fazê-los com agências turísticas, em excursões que saem todos os dias, contratar táxi ou ir de ônibus. Deve-se levar em conta que uma viagem como essa é uma expedição. E que nem sempre vai ser possível desfrutar de todo o conforto que se gostaria. Para ir de Cusco a: – Pisac: Seguir de ônibus até o centrinho da cidade e depois tomar um táxi até a entrada das ruínas de Pisac, que ficam no alto de um morro. – Ollantaytambo: Por meio de trem, ônibus, van ou táxi. – Águas Calientes: Por trem. Para ir de Águas Calientes (o último povoado antes de MP) até Machu Picchu, só é possível ir caminhando ou em ônibus credenciados.

  • Estação de Águas Calientes

    Nota: 4.8 de 10 (2) A estação de trem de Águas Calientes é a última antes do sítio arqueológico de Machu Picchu. Entre Ollantaytambo e essa estação são cerca de 2 horas. Para quem não quer economizar, ir no trem com janelas nas laterais e no teto é uma ótima maneira de poder observar a beleza do caminho….

  • Estação de Ollantaytambo

    Nota: de 10 (0) A estação de Ollantaytambo tem diversas partidias diárias para Águas Calientes. Os preços saindo dessa estação são mais baixos que aqueles saídos de Poroy, mas a estação fica a uma hora e meia de carro de Cusco. Utilizando essa estação, você pode viajar com a Inca Rail ou Peru…

  • Estação de Poroy

    Nota: de 10 (0) A estação de Poroy, muito utilizada para fazer o trajeto Cusco-Águas Calientes sem precisar parar em Ollantaytambo, não está no centro de Cusco. Será preciso contratar um transfer ou táxi para ir até a estação – o trajeto em táxi demora cerca de 30 minutos.

2018-02-22T17:43:57+00:00Categories: Melhores Destinos, Melhores Destinos - Internacionais|

Leave A Comment

Este website usa cookies e serviços de terceiros. Política de Privacidade Ok