França – Paris

França – Paris

É impossível não se render aos encantos de Paris, a bela capital francesa e destino turístico frequentado por milhões de pessoas todos os anos. Vibrante, charmosa, romântica, divertida, além de berço da cultura e da arte, a Cidade Luz, como é chamada, possui uma infindável lista de qualidades. Uma vez lá, você perceberá que alguns clichês realmente fazem sentido. A cidade é um grande centro, repleto de opções para pessoas de todas as idades e mais diversos gostos, com paisagens de tirar o fôlego, cartões-postais mundialmente conhecidos e muito mais. Paris está dividida em 20 bairros numerados, os chamados arrondissements. Quanto mais baixo o número, mais centralizado é o ponto de interesse. Para se ter uma ideia, o primeiro arrondissement engloba a área do museu do Louvre e o entorno da Catedral de Notre Dame. O famoso rio Sena, sempre repleto de barcos turísticos em toda a sua extensão, também corta a cidade em duas partes: a margem direita (Rive Droite) — considerada a mais sofisticada, por sinal — e a margem esquerda (Rive Gauche). E embora ofereça um dos metrôs mais eficientes do mundo, Paris é uma cidade que incentiva a caminhada. Experimente ir a pé do Arco do Triunfo à praça da Concórdia e passe pela avenida Champs-Élysées, o belo Jardin des Tuileries e a Ponte Alexandre. Bairros parisienses Nada melhor do que percorrer a pé as charmosas ruazinhas de bairros, como Le Marais (patrimônio histórico da Unesco), Montparnasse Montmartre. Pelo caminho, você vai encontrar lojinhas que vendem de tudo um pouco, as famosas boulangeries (padarias), com seus croissants fresquinhos e doces maravilhosos, além de cafés e bistrôs que servem várias delícias da culinária francesa. O idioma oficial do país é o francês, mas o inglês é uma língua bastante difundida, principalmente nas áreas turísticas. E apesar da fama de mal-humorado e grosseiro, o povo francês pode surpreender positivamente o visitante com a sua hospitalidade. A dica é ir completamente “desarmado” em relação a certos clichês e curtir a estadia nessa deliciosa cidade, para onde, provavelmente, você desejará voltar mais vezes!

O que fazer em Paris

Uma boa dica para quem for a Paris, especialmente para aqueles que estarão na cidade pela primeira vez, é levantar da cama bem cedo e com bastante disposição! Roupas e sapatos confortáveis também são itens obrigatórios aos que desejam aproveitar a Cidade Luz e sua infindável lista de monumentos, praças, pontos turísticos, bairros e restaurantes para todos os gostos. Berço da cultura e da arte, a capital francesa merece ser explorada a fundo e para isso é necessário um certo tempo. O ideal é que o visitante reserve ao menos quatro dias de estadia na cidade, período que, ainda assim, pode não ser suficiente. Caso você volte com a sensação de que deixou de ver muita coisa, não se preocupe, pois Paris é uma cidade que merece muitas outras visitas. Uma das grandes preocupações dos que vão a Paris é em relação aos gastos, ainda mais em tempos de euro “nas alturas”. Como dissemos anteriormente, a Cidade Luz tem uma enorme quantidade de atrações e muitas delas são pagas, portanto, optar por passes turísticos, às vezes, pode ser a melhor alternativa, principalmente para os que desejam conhecer muito em poucos dias. Qual passe escolher? Abaixo, descrevemos três cartões bastante usados por turistas que visitam a Cidade Luz, leia atentamente cada um deles e acesse os links para conferir preços, a lista de estabelecimentos participantes, regras e também para fazer a sua compra online. Paris Pass – ao adquirir este passe, o turista tem entrada livre (e direta, sem filas) nos principais museus e monumentos de Paris, como o Louvre, atrações como cruzeiros pelo rio Sena e tour pela ópera Garnier, além do uso ilimitado de transporte público durante o período de validade do cartão. Clique aqui para saber mais; Museum Pass – já o Museum pass é o cartão ideal para quem deseja conhecer boa parte dos museus da capital da França. E levando em consideração que a entrada nos principais da cidade custam entre 9 e 12 €, é bem provável que você faça um excelente negócio ao adquirir o cartão. São, ao todo, 60 museus e monumentos, como o Louvre, a Catedral de Notre Dame, o Centro Pompidou, o Palácio de Versailles, entre outros. Isso sem contar que o cartão também dá ao portador o direito de “entrada sem filas”Paris Visite Travel Card  este cartão é ideal para os que não querem se preocupar com transporte público em Paris, pois com ele é possível andar de metrô, trens, ônibus e até pegar o funicular de Montmartre (que sobe e desce a colina onde está a Basílica do Sagrado Coração). O Paris Visite cobre as zonas de 1 a 3, onde boa parte dos principais pontos turísticos estão situados;

Onde comer em Paris

Paris é uma cidade de aromas, cores e muitos sabores. Impossível ignorar o cheirinho do pão que acabou de sair do forno na boulangerie da esquina ou das barraquinhas que vendem deliciosos crepes com massa fininha e recheios de dar água na boca. É difícil não se render aos tradicionais (e substanciosos) pratos e ingredientes franceses, como o foie gras (fígado de pato ou ganso), o boeuf bourguignon, carne bovina cozida no vinho tinto, ou o coq au vin, frango que também leva vinho tinto na receita — sem esquecer, é claro, dos deliciosos doces como os macarons. Em cada esquina da cidade é possível encontrar um café, bistrô ou restaurante que sirva a tradicional comida francesa. Com certeza, esses estabelecimentos fazem parte do dia a dia do povo local, que valoriza bastante o momento da refeição. E como não poderia deixar de ser, a considerada capital da gastronomia abriga alguns dos melhores restaurantes do mundo, com cozinhas comandadas por chefes estrelados, talento e técnica altamente compatíveis com os preços cobrados pelas refeições. Entretanto, Paris também oferece excelentes opções que se encaixam nos mais diversos bolsos. Os ingredientes de primeira linha utilizados nos estabelecimentos comerciais, queijos, vinhos, pães, entre outros, estão nas prateleiras dos supermercados e em quitandas da cidade. Se você sempre teve a vontade de encher uma cesta com itens desse tipo e fazer um delicioso piquenique ao ar livre, a capital francesa é o lugar ideal. Um dos locais preferidos por turistas do mundo inteiro, por exemplo, são os gramados situados aos pés da Torre Eiffel. O Melhores Destinos selecionou alguns estabelecimentos imperdíveis na cidade. Embarque conosco nesta deliciosa viagem gastronômica e bon appetit!

Pontos turísticos de Paris

A Cidade Luz é capaz de surpreender sempre, seja o visitante um habitué local (viajante frequente) ou esteja desembarcando na capital francesa pela primeira vez. Uma metrópole repleta de opções para todos os tipos de público, riquíssima em história e cultura, bairros vibrantes, cartões-postais mundialmente conhecidos, bons restaurantes, centros de compras e muito mais. Pensando naqueles que já estão de passagens compradas, elaboramos uma lista de pontos turísticos cheia de dicas importantes. Aqui você encontra museus como o Louvre, onde está a famosa Monalisa e o Orsay, instalado em uma antiga estação de trens, onde estão o Autorretrato, de Van Gogh, e as Coquelicots, de Claude Monet. Monumentos também estão por todos os lados nesta que é uma das cidades mais visitadas do mundo. A bela Torre Eiffel impressiona a qualquer hora do dia e não menos imponente é, ainda, o Arco do Triunfo, que fica a poucos passos da Avenida Champs Elysées, outro endereço que não pode passar despercebido para compras ou apenas para uma boa caminhada. Bairros O turismo nos bairros parisienses não pode ficar de fora de um bom roteiro, entre eles o Marais, também conhecido como “território dos artistas”. Lá o visitante encontrará uma porção de bares e restaurantes, cafés com mesas nas ruas, butiques vintage, museus e galerias de arte, sendo a Rue des Rosiers e a Rue des Ecouffes alguns dos destaques. Já Montparnasse é excelente para caminhadas ou apenas para sentar-se em um café e observar o vaivém nas ruas. Aos domingos, a Place Fernand Mourlot tem uma feirinha de arte muito interessante; na Rue du Montparnasse, que fica bem próxima da praça e do cemitério, você encontra uma variedade enorme de creperias, entre elas, a Josselin. Endereço da Universidade Paris-Sorbonne, o Bairro Latino (Quartier Latin) recebeu esse nome devido ao idioma falado pelos estudantes universitários. Uma excelente área para caminhar sem pressa, com uma grande quantidade de cinemas, bares e restaurantes. Ah, se a grana estiver curta, o Quartier Latin reserva uma série de opções de estabelecimentos onde é possível comer bem e pagar barato. nformações Gerais Apesar de gigantesca, Paris é uma cidade perfeita para caminhadas, aliás, na nossa opinião, essa é a melhor maneira de explorar a cidade. A dica, portanto, é organizar um roteiro por regiões, de forma que seja possível caminhar ao máximo e contar com a auxílio do transporte público mais ao final do dia. Mas se você não é lá muito fã de andar a pé ou estiver na cidade em um período chuvoso/frio, pode contar com o excelente transporte público parisiense. Neste post, você confere todas as informações necessárias para locomover-se com tranquilidade, já aqui falamos sobre as melhores opções de transporte dos aeroportos até o centro de Paris.

Bairros de Paris

Le Marais  É um dos mais famosos da cidade, conhecido como território dos artistas, repleto de bares e restaurantes, butiques vintage, museus e, é claro, várias galerias de arte. A Rue des Rosiers e a Rue des Ecouffes, por exemplo, são locais que têm uma atmosfera supervibrante, onde você pode aproveitar para experimentar deliciosos pratos da gastronomia do Oriente Médio (como o falafel) e também vai ver várias lojinhas interessantes. Movimento-do-bairro-le-marais-paris Bairro Latino (Quartier Latin) É onde se encontra a Universidade Paris-Sorbonne; o local recebeu o nome de Quartier Latin devido ao idioma falado pelos estudantes universitários. Excelente área para caminhadas, com uma grande quantidade de cinemas, bares, restaurantes/boulangeries (a dica é a Rue Mouffetard), entre várias outras opções. Nesse bairro ainda ficam o Panthéon — onde estão enterradas personalidades como Victor Hugo, Voltaire e Marie Curie. Montparnasse Excelente para caminhadas ou apenas para se sentar em um café e observar o vaivém nas ruas. Aos domingos, a Place Fernand Mourlot abriga uma feirinha de arte muito interessante; além disso, o local é cercado por cafés e restaurantes pra lá de aconchegantes. Na Rue du Montparnasse, que fica bem próxima da praça e do cemitério, você encontra uma variedade enorme de creperias, entre elas, a famosa Josselin (leia mais sobre ela em Onde Comer). Entrada-do-cemiterio-de-montparnasse Montmartre e Pigalle Numa colina do 18°arrondissement está Montmartre, tido como um dos bairros mais coloridos e animados de Paris, abaixo está Pigalle. Não é à toa que a área abriga dois endereços famosos na noite local, o Moulin Rouge e o Le Chat Noir, além de vários bares e restaurantes que valem muito a pena. Considerado reduto dos artistas, Montmartre também abriga — bem no topo da colina — um dos pontos turísticos mais famosos da Cidade Luz, a Basílica do Sagrado Coração. Basilica-do-sagrado-coracao-em-montmartre Champs-Elysées Alguns chamam a área de “o coração financeiro de Paris” e isso se deve ao chamado triângulo de ouro formado pela Champs-Elysées e pelas Avenidas Montaigne e George V. Nessa área, muito voltada para negócios, você vai se deparar com uma série de lojas, várias delas bem caras, mas se comprar não for mesmo a sua intenção, não se preocupe, caminhar pela região já é um super passeio. Movimento-na-avenida-champs-elysees-paris  As Ilhas (Ile St-Louis e Ile de la Cité) No centro de Paris, encontram-se estas duas pequenas ilhas, às margens do Rio Sena, onde você, com certeza, vai querer passear bastante. Além das paisagens belíssimas, a Ile de la Cité hospeda ainda a Catedral de Notre Dame, um dos pontos turísticos mais visitados de Paris. Já na Ile St-Louis, que mais parece um refúgio em meio à cidade grande, há excelentes opções de hotéis, restaurantes e lojas. .

Dicas de Paris

Visto Cidadãos brasileiros não precisam de visto de turismo para permanência de até 90 dias na França e em outros países-membros do Acordo Schengen (Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, Grécia, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Países Baixos, Polônia, Portugal, República Checa, Suécia e Suíça). Contudo, no momento do desembarque, serão exigidos passaporte válido e outros comprovantes, como passagem de ida e volta, comprovante de recursos financeiros, seguro-saúde válido em todos os países-membros do acordo, entre outros. Chegue cedo Você provavelmente encontrará uma cidade bastante cheia, especialmente no verão. A fim de evitar certos aborrecimentos, como as enormes filas que se formam na porta de alguns pontos turísticos, por exemplo, é bom chegar cedo ou adquirir ingressos com certa antecedência. Aos que forem a Paris com o intuito de experimentar a deliciosa culinária francesa, também recomenda-se efetuar reservas previamente (muitos estabelecimentos o fazem por meio de websites, e-mail ou telefone). Segurança Em geral, a capital francesa é segura, porém golpes e pequenos furtos são cada vez mais frequentes, especialmente nos pontos turísticos mais badalados, como a praça em frente ao Hôtel de Ville (prefeitura de Paris), Basílica do Sagrado Coração e no metrô. Fique atento e não deixe a carteira à mostra ou a bolsa aberta, pois os assaltantes — extremamente experientes — podem roubá-lo da maneira mais sutil possível. Outro alerta na capital francesa é em relação a golpes como o do abaixo-assinado, do anel, entre outros. Golpes Nos últimos anos, golpes aplicados em turistas têm acontecido com mais frequência na Cidade Luz. Há o golpe do abaixo-assinado, no qual uma pessoa, ou um grupo, aborda o turista pedindo a assinatura, seguida de uma contribuição em dinheiro. No momento em que a negociação acontece, o golpista aproveita para fazer uma limpa nos bolsos e na mochila do turista. Tudo de maneira sutil. Já no golpe do anel, o golpista “encontra” um anel e oferece-o ao turista alegando que aquele é um objeto valioso (muitas vezes já colocando o anel do dedo da pessoa, sem a mínima cerimônia). Depois disso, vem a cobrança e, em alguns casos, ameaças, caso a pessoa não queira dar o dinheiro. O que fazer então? A melhor tática para evitar os frequentes golpes nas ruas de Paris é não dar confiança a estranhos. Sempre que alguém se aproximar de você com segundas intenções, cheio de assunto ou oferecendo algo, diga a palavra “não” em alto e bom tom e saia de perto da pessoa. No restaurante  A verdade é que não existem regras muito claras em relação a gorjetas. Alguns restaurantes já cobram um percentual na própria conta, posteriormente repassado ao prestador de serviço. Contudo, de acordo com o site Fodor’s, é gentil deixar algo entre 1 e 3 euros em restaurantes informais ou 5% do valor total da conta em estabelecimentos mais refinados. Apesar disso, a decisão de deixar ou não a gorjeta é sempre do cliente.

  • Consulado-geral do Brasil em Paris

  • O número de telefone do Consulado, para casos de emergência (acidentes, prisões, mortes, entre outros), é o 06 80 12 32 34. Uma série de informações importantes estão à disposição na página do órgão na internet. Atenção! O consulado não fornece…

    Transportes em Paris

  • MetrôA maneira mais simples e rápida de se locomover em Paris. Isso porque, num dos metrôs mais eficientes do mundo, o tempo de espera é curto, a passagem é relativamente barata e praticamente todos os pontos de interesse da capital francesa terão uma estação bem próxima. Lembre-se de que ele é dividido por zonas, sendo as áreas 1 e 2 aquelas que abrigam a maior quantidade de pontos turísticos.Para utilizar o metrô, basta procurar pelo número da linha pretendida e pelo nome da última estação (a fim de garantir a direção correta). Cada linha possui uma cor diferente, o que facilita bastante a visualização nos mapas que estão disponíveis em quadros posicionados nas entradas de todas as estações da cidade e também são distribuídos gratuitamente nos diversos escritórios de informação turística (para fazer download do mapa do transporte público de Paris, clique aqui).Dentro da estação, é só seguir as placas que indicam o número da linha seguido do nome da sua última estação. Fique atento, pois às vezes é necessário fazer baldeação (nesse caso, não siga a placa Sortie, o mesmo que Saída). Metro-de-paris Preços O bilhete único do metrô referente à zona 1 custa 1,80 €, já dez tíquetes saem por 14,10 €, ou seja, acaba sendo bem mais vantajoso adquirir o “pacote” com 10 bilhetes, que também podem ser usados nas linhas RER (zona 1), nas linhas de ônibus Ile-de-France (RATP e OPTILE), exceto o Orlybus e o Roissybus, além de bondinhos elétricos e funicular de Montmartre. Uma excelente dica para quem vai passar mais dias na cidade é adquirir o Paris Visite, o cartão que dá acesso ilimitado a metrô, ônibus e RER, por tempo determinado. O passaporte para cinco dias, com acesso às zonas 1 a 3, custa 35,70 € (adulto) e 17,85 € (crianças de 4 a 11 anos). Você pode conferir as tarifas e também comprar o bilhete Paris Visite clicando aqui. Táxi Como em toda cidade grande, a oferta de táxis em Paris é enorme. Porém, devido ao trânsito cheio e aos grandes congestionamentos, o meio de transporte pode não ser o mais adequado para quem deseja ganhar tempo. Além disso, as tarifas cobradas pelas empresas não costumam ser baixas. Ônibus Esta pode ser uma boa opção para aqueles que pretendem fugir dos túneis subterrâneos e conhecer melhor a cidade. Porém, assim como os táxis, os ônibus também acabam enfrentando o trânsito pesado da cidade, o que pode resultar em algumas horas perdidas em engarrafamentos. Nos ônibus de Paris, é possível utilizar os mesmos tíquetes do metrô, mas fique atento, pois, dependendo da viagem, é necessário adquirir mais de um bilhete. Para mais informações, clique aqui. RER Conecta a Cidade Luz a algumas cidades próximas, como Versailles, por exemplo, e aos aeroportos Orly e Charles de Gaulle. Você pode pegar o RER nas próprias estações de metrô (também é possível utilizar o mesmo bilhete), mas é bom lembrar que esta talvez não seja uma opção tão fácil como o metrô para viagens dentro da cidade.

Leave A Comment

Este website usa cookies e serviços de terceiros. Política de Privacidade Ok